Frequencímetros – Revista Travel 3 – Tecnologia a Bordo

Home / Revista Travel 3 - Tecnologia / Frequencímetros – Revista Travel 3 – Tecnologia a Bordo

monitor_cardiaco-300x229Semana passada estava em casa a noite, curando uma gripe muito forte quando toca meu celular. Era minha chefe aqui da revista !

Com toda aquela delicadeza que só ela, após me receitar um chá de alho com limão cortado em cruz ela me falou: Tenho uma sugestão de pauta para sua coluna deste mês ! Vamos falar de relógios de corrida, os famosos frequencímetros ! Várias pessoas estão me procurando para lhe pedir para falar deste assunto, o que você acha ?

Deixa comigo Chefa, missão dada e missão cumprida ! Como que eu ia negar um pedido da minha chefa mor ?! Impossível ! E além disto, eu sou um apaixonado por relógios ! Desliguei o telefone e já peguei o ipad para começar minhas pesquisas sobre o assunto !

Foi aí que eu notei que aquele meu Polar de 1995 que esta na gaveta ha mais de 5 anos não era mais a referência em frequencímetros ! O que fazer então ?

Fácil ! Como diz o Milton Nascimento, amigo é coisa para se guardar do lado esquerdo do peito e na agenda do celular, mandei um Whatsapp imediatamente para os dois maiores usuários de frequencímetros que eu conheço e pedi uma ajuda !

O primeiro, o meu irmão Claudio, corre todo dia 10 Km, faz ginastica 3 vezes por semana (queria ser assim viu?) e o outro o Dr. Themmer, advogado nas horas vagas, amigos em todas as horas, músico e praticante de Thriathlon.

Os dois me mandaram uma chuva de umas 120 mensagens no Whatsapp e em menos de 15 minutos eu já estava totalmente atualizado em toda a tecnologia de frequencímetros !

A primeira coisa que concluí é que o meu Polar15 já não existe mais e que nem se eu quisesse recupera-lo eu conseguiria.

A segunda conclusão é que existem mais modelos de frequencímetros no mercado do que eu pudesse sequer imaginar ! Tem de várias marcas, cores, modelos, tamanhos, funções e a escolha vai ser mesmo muito pessoal.

Mas podemos falar que a marca Garmin foi a unanimidade em relação a qualidade.

O Garmin Forerunner 910xt, usado pelo Dr. Themmer, foi desenvolvido para praticantes do Thriathlon. É um monitor com GPS que fornece informações detalhadas de nado, registra distância, ritmo, elevação (via altímetro barométrico) e freqüência cardíaca para corredores, ciclistas e nadadores.

O bacana dele é que ele conta com um recurso automático que permite que você troque o modo de cada esporte em apenas um toque, para que o atleta ganhe tempo nessa transição. A montagem com desengate rápido facilita que o usuário mude o 910XT de seu pulso para a bicicleta sem fazer esforço. Outro detalhe é que os campos de dados são configuráveis, permitindo a personalização de diversas páginas de treinamento para cada esporte.

Ponto negativo, todos já devem imaginar, o preço tupiniquim ! Gira em torno de R$ 2000,00 nas lojas especializadas !

O Claudio já usa para corridas um Garmin Forerunner620, mais simples que o 910xt mas que para quem pratica somente (!) a corrida, atende muito bem, com todos os recursos existentes para os praticantes deste esporte.

O Forerunner620 possui visor colorido, tela sensível ao toque e oferece recursos avançados como assistente de recuperação, previsão de término de corrida e estimativa de VO2 max.

Ponto negativo do Forerunner 620? Preço no Brasil ! Girando em torno de R$ 1500,00 !

Mas, como eu disse acima, os modelos são vários e a pesquisa deve ser feita com muita paciência.

A marca Polar, aquela mesma do meu ex-frenquencímetro, ainda é a mais popular e tem também modelos de alta performance e modelos mais simples. Correndo por fora (esta foi boa hein chefa?), temos a Suunto, uma empresa Filandesa que esta entrando no mercado de frequencímetros apostando no visual dos relógios.

E, para não deixar de falar dos produtos Apple, a turma da maçã desenvolveu um produto juntamente com a Nike chamado Nike Plus. É um aplicativo que, em conjunto com acessórios específicos vendidos pela Apple, fazem a função de frequencímetro. Mas, segundo meus consultores, há um problema de calibragem que gera alguns erros grandes nestes apps. Numa corrida de 20 Km do Claudio houve uma diferença de 1,5 Km no aplicativo em relação ao Garmin. Portanto, vale para amadores, mas não para quem quer levar o esporte a sério.

Duas observações importantes são: para que se tenha uma boa qualidade de captação dos dados o uso da faixa abdominal é obrigatória. Já existem alguns relógios que usam um sensor no próprio relógio, mas pelo que eu li, não funcionam bem.

A segunda é quanto as baterias, tanto dos relógios quanto das faixas abdominais.

Os relógios agora são carregados na tomada, como os celulares e as faixas agora tem bateria que podem ser trocadas facilmente pelo próprio usuário.

No meu ex Polar, quando a bateria da faixa acabava, você jogava fora e tinha que comprar outra e a do relógio tínhamos que levar numa relojoaria.

Mas agora já estou moderno ! Comprei um Suunto bonito ! Comprei o mais simples e o mais bonito pois a beleza me pegou mais que as funções, é claro!

Vou testa-lo e darei noticias !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *