Test Drive da 7Galo – By Leo Meniconi

Home / Aconteceu / Test Drive da 7Galo – By Leo Meniconi

Fiz este post em 2011 ! Esta semana, recebi um email do Leo, dono do texto abaixo e o ator do caso e me lembrei de alguns casos dele. Este da 750 é famoso!
O Leo é o mesmo do caso do MEDROSO que publiquei aqui ha alguns dias.
Vale a leitura novamente !

_______________________________________________

Tenho dois amigos contadores de Caso. O Leo e o Rick. Cada um ao seu jeito são ótimo contadores. O Rick pelos detalhes e sons e o Leo pelos inventos e exageros a cada caso. O mais engraçado é que são casos verdadeiros e muito engraçados. Ontem lembramos de um destes casos de quando meu irmão resolveu comprar uma Honda CBX 750 e o Leo foi testar a moto com ele.

Morri de rir de novo, pela 13948 vez que ouvi este caso ! Andamos muito nesta CBX e tenho saudade dela ! Olha a descarga direta da bichinha ai embaixo !

 

Estávamos eu, Claudio e Marcelo num fim de expediente daqueles dias tipo Sexta Feira, em que a Quinta foi feriado, que nem brisa soprava pra não atrapalhar o cabelo…

Nessas horas, eu aprendi que estando perto desses dois, é melhor nem respirar pra não chamar atenção.

Mas como cabeça vazia é morada do canhoto, Marcelo Cepa abre a internet e começa a fuçar em sites de moto…

Fuça daqui, fuça de lá e numa dessas fuçadas cruza com alguma matéria sobre as CBX 750, daquelas que vieram pra cá em 86, (Pretas com aro 16” na frente tipo motard), e depois foram montadas aqui em 87, 88, 89, 90 e 91.

(Descasquei uma dessas 87 (branca e vermelha, do modelo de carenagem pequena), tirada Zero na loja e passada pra frente com 15.000 Km, bem rodados. Chupei até o bagaço da danada…
retifica 0,50 nos 4 cilindros e com a injusta impressão do meu pai de que a moto gastava muito pneu. (Foram 5 traseiros e 3 dianteiros, em 15.000 km).

Eu com 22 anos, estava no auge da minha efervescência…

Bão…

Marcelo abre o tal site, depara com a matéria da danada e faz um infeliz (ou feliz, sei lá) comentário.

“Essa moto tem o barulho mais bonito que eu já ouvi numa moto”

Isso porque ele nunca ouviu uma 750 four “K” ou uma Z 1000 sem descarga

“Xô ver”, completa a leseira o Claudio…

“Vem ver Léo” falou um deles que eu não me lembro qual, mas não importa…

“Quero ver não”, respondi sem delongar, mas já prevendo confusão inevitável…

Pra colocar mais pilha a merda do site tinha som e pra variar o da moto abrindo o giro.

Claudio na empolgação solta uma tipo…

“PUTAQUEPARIU !!!!!!! Se eu achasse uma no jeito eu comprava!!!!!!”
(Desculpem as donzelas e os sensíveis, mas não tem jeito de rever a cena sem o PUTAQUEPARIU !!!!!!).

Marcelo pondo pilha…

“Vamo procurar” e entra num site de classificados de veículos

Achou uma em BH com boas referencias…

“Putz, mas eu teria que vender a minha primeiro, não tenho a grana” diz o Cláudio

“NÃO ESQUENTA que EU TE EMPRESTO, VAI LA VER A MOTO AMANHÃ E SE TIVER BOA PODE FECHAR E VIR BUSCAR COMIGO LA EM CASA E EM DINHEIRO!!!!”, diz o infeliz do Cepa doidinho pra dar uma subacada na galo.

Nisso, eu já cato minhas coisas e vou saindo de fininho, qdo escuto o Claudio.

“LÉO !!!! te pego na sua casa a manhã as 8;00”

As 8;00 o cara que nunca foi pontual me liga “to na porta”.

Fomos parar num bairro la nos quinto, qdo a Via Expressa ira mão e contra mão…

Chegando lá, nos atende o dono, um rapazinho, tipo “eu sou foda” com uns 20; 22 anos, e chassi de frango…

“tai a joia, minha desde sempre. Nunca cai, mas nunca corri. E não deixei NINGUEM até hoje tocar a fera”

A moto estava mesmo bonita, bem cuidada, e com pinta de que nunca tinha subido dos 3.000 giros…

O Claudio ficou alucinado com a moto e já foi fechando o negocio escorado na garantia do Cepa de apresentar a grana pra “nóis” poder brincar com a bichona…

MAS não sei porque, aquela apresentação do cara me fez uma vontade danada de ser o segundão , mas com pinta de primeirão, na vida da Galo. (Tipo, não fui o 1º mas o meu era bem maior!!!).

Dai falei assim, sem alteração, encostado na parede…

“Éh, bonita ela tá mesmo, mas tem que ver se ta justinha e alinhada.”

O Fióte de louvaDeus me perguntou…

“E como que vê isso?”

-Só andando meu velho, só andando”

Putz, o cara suou frio, tossiu, ajeitou a camisa, foi ali e voltou, mas sabendo que ia ser nota sobre nota, aceitou o test-drive, mas condicionou.

– Só se eu for junto, na garupa

Claudio me dá as honras, e eu ligeiro subi e chamei o ET..
– Sobe aí meu cumpadi que eu vou ver se ainda sei andar de moto, aonde tem uma avenida mais larga por aqui?

– Na rua de baixo a esquerda, mas pra que avenida?
– Já vou logo avisando que essa moto nunca passou de 100, e eu não posso dizer como é o comportamento ciclístico dela acime dessa velocidade, alias, acho que moto não se deve andar a mais que 80 em nenhuma hipótese, digo isso porque um primo meu……

A reza do cabrito desnutrido ficou por ai, porque eu já sai da garagem da casa dele a 80, e de lado porque tinha uma areiazinha no pátio que ajudou no driffting
Desci a rua e entrei a esquerda que até eu mesmo achei que não ia dar, pois ela começou a pegar o descanso no chão a uns 10 metros da entrada da curva.

(Já tava nos 100 que ele disse ter sido o máximo, mas de 2ª !!!)

Pus a bichona em pé, e atento e já prevendo, soquei a mão com vontade e já soltei a mão esquerda do guidom e segurei a canela do menino que já estava passando do meu ombro.

Acho que ele era frutinha porque me abraçou que nem cocota qdo subia pra passear comigo em tempos idos….

Dai eu pensei..

“Se me abraçou é pq ta autorizando dar uma puxada mais radical”, e já na avenida, levei a gritadora a 190, e só não deu pra ir mais pq a avenida tava acabando e eu tava tomando soco nas costas às dúzias…

Ao voltarmos o Claudio não parava de rir, imaginando a maldade pela cara do menino que parecia presidiário sem direito a banho de sol…

Putz.., o cara só não caiu pra dentro porque o prejuízo era grande, senão nesse dia eu tinha tomado umas bolachas

Foi assim mesmo

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *